Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

LEISHMANIOSE CANINA - TRATAMENTO HOMEOPÁTICO


Já muitos são os médicos veterinários que em todo o planeta utilizam a homeopatia, podendo assim falar-se de uma homeopatia veterinária que não difere da humana – não vamos aqui enunciar os seus princípios, que reputamos suficientemente desenvolvidos, quer em artigos deste blog quer no nosso site pessoal,
www.homeoesp.org

A Medicina Veterinária surge na segunda metade do século XVIII, e Hahnemann, fundador incontestado da Homeopatia afirmou que as leis desta são válidas para todos os seres vivos, podendo os animais ser curados de forma tão segura quanto o homem.
Numa palestra que realizou na cidade de Leipzig, com o título “O Tratamento Homeopático em Animais Domésticos”, disse ter aceite com facilidade que a Medicina Veterinária é praticada de forma similar à humana. Daí, que no domínio das patologias é idêntica a observação do quadro patológico apresentado pelo animal e que por outro lado, se torna necessário determinar os efeitos produzidos pelas substâncias puras quando administradas a animais sãos. Assim, quando os sinais e sintomas produzidos artificialmente no animal são correspondem aos do animal enfermo, poderemos estar certos de que a cura operará rápida e duradouramente, sem consequências danosas para o organismo doente.

O veterinário homeopático ideal é na nossa perspectiva o unicista. No entanto, estamos convictos de que em determinadas circunstâncias, quer o pluralismo quer o complexismo produzem resultados notáveis.
Um qualquer animal, em especial de companhia, não é propriamente o objecto ideal para incautas experimentações. Apesar de tudo, todos nós temos a obrigação de concorrer para o bem-estar e felicidade dos nossos “irmãos” de quatro patas – também os há de duas, não obstante sejam em reduzido número...


Aplicar o remédio homeopático numa situação específica, exige um conhecimento mínimo desta ciência e arte de curar.
Nesta sede, limitar-nos-emos a meras indicações práticas, obviamente insuficientes para quem faz uso diligente de tal terapêutica.

Em regra, os medicamentos homeopáticos apresentam-se sob a forma de grânulos e de gotas. Pessoalmente, prefiro as gotas.
Para ministrar o medicamento, utilizo uma pequena seringa onde a 2 ml de água purificada faço acrescer a dose que reputo ideal – número de gotas do medicamento.
As diluições estão indicadas e são ministradas como infra se indica, salvo indicação em contrário:
- As 4 e 5 CH – casos agudos -, três ou mais vezes por dia.
- As 7 CH, de 3 em 3 ou de 4 em 4 dias.
- Potências superiores – da 9ª à 30ª CH – serão administradas semanalmente. Atente-se que os iniciados devem utilizar sempre baixas diluições. Há quem prefira e indique a 6 CH por ser a que menos agravamentos provoca.

Cada medicamento deverá ter a sua própria seringa.


A Homeopatia pode ser encarada como uma terapêutica complementar da Medicina Veterinária, mas também como primeira escolha. Esta última, deverá ter sempre, pelo menos nos casos graves, o aval do especialista.
É nesta perspectiva, que incluímos um protocolo de tratamento para uma doença que tantos animais dizima – ou faz dizimar, e caso se opte pela linguagem dócil da medicina veterinária, “adormecer”.
Doença esta, que faz com que num distrito dos mais afectados do país – Guarda -, estejamos a tentar criar um centro de apoio homeopático para animais com doenças crónicas – ou seja, para todos aqueles que são entregues para abate sem que estejam esgotadas todas as possibilidades terapêuticas. Não podemos olvidar que os animais têm direito à existência, respeito, atenção, cuidados e protecção do homem, só devendo ser mortos quando já não existir qualquer esperança de vida e o seu sofrimento o imponha, caso contrário, estamos face a um biocídio, ou seja, um crime contra a vida.
O “adormecimento” egoísta e leviano de um animal de companhia é sempre um acto cruel e degradante.

---------------------------------------------------------

A leishmaniose é uma doença grave, com larga disseminação em Portugal.
Existem zonas geográficas onde nos últimos 10 anos aumentou cerca de 100%.

É uma parasitose provocada pelo protozoário Leishmania spp, sendo os canídeos em regra, infectados pela picada de flebótomos, que são pequenos insectos.
O parasita multiplica-se na medula óssea, gânglios e baço, provocando inúmeros sintomas e sinais.
É fundamental que o dono ou tratador do animal esteja atento aos ditos sinais e sintomas indiciadores da existência de doença, já que na sua fase inicial o tratamento tem amplas possibilidades de êxito. De qualquer modo, deve ser submetido a exames trimestrais para evitar recaídas – o animal tratado pode ficar portador do parasita para sempre.

Entre os sinais e sintomas da leishmaniose, identificamos:
- Emagrecimento;
- Perda do apetite;
- Febre irregular;
- Indiferença, apatia e debilidade;
- Feridas que não cicatrizam;
- Crescimento rápido das unhas, com unhas do tipo “faquir”;
- Hemorragias – cutâneas, digestivas, epistaxe.
- Gastroenterite hemorrágica;
- Diarreia;
- Vómitos;
- Adenopatias;
- Insuficiência renal – bebe muita água e urina muito.
- Conjuntivite e lesões da córnea;
- Esplenomegalia;
- Hepatomegalia;
- Emaciação e atrofia dos músculos faciais;
- “Cabeça de velha”;
- Dificuldades de locomoção e paralisia das patas traseiras;
- Falta de pelos, principalmente nos bordos das orelhas e saliências das articulações;
- Nefrite – esta surge nos estados terminais.



PLANO DE TRATAMENTO

O plano de tratamento homeopático limitar-se-á a complementar o estabelecido pelo médico veterinário.

1.º DIA – 12 gotas ou grânulos – estes terão de ser diluídos – de Arsenicum Album 6 CH em 2 ml de água purificada ministrado através de uma seringa.

3.º DIA – Agitar vigorosamente o frasco do remédio 10 vezes. Diluir 12 gotas de Arsenicum Album 6 CH em 2 ml de água purificada.

5.º DIA – Repetir todo o procedimento indicado para o 3.º dia.

8.º DIA – 12 gotas ou grânulos de Antimonium Tartaricum 7 CH em 2 ml de água purificada ministrado através de uma seringa.

11.º DIA – Agitar vigorosamente o frasco do remédio 10 vezes. Diluir 12 gotas de Antimonium Tartaricum em 2ml de água purificada.

14.º DIA – Repetir todo o procedimento indicado para o 11.º dia.

18.º DIA – 12 gotas ou grânulos de Antimonium Crudum 7 CH – utilizar o procedimento do 8º dia.

21.º DIA – Antimonium Crudum – utilizar o procedimento do 11º dia.

24.º DIA – Antimonium Crudum – o mesmo procedimento do 14º dia.



Para além do tratamento homeopático é de todo essencial que o sistema imunitário do animal seja reforçado.
Neste particular, e com as necessárias e inevitáveis adaptações veja-se:
Em
www.homeoesp.org LIVROS ONLINE » O REFORÇO DO SISTEMA IMUNITÁRIO.



JOSÉ MARIA ALVES

26 comentários:

Têtê disse...

O meu Tico, cão de água português com 3 anos de idade, tem leishmaniase. Para além de uma seborreia renitente e de resultado positivo nos exames hematológicos, nada mais se manifesta. Fez uma terapêutica halopática durante 28 dias e o protainograma foi negativo no controlo posterior que fez: por agora "não tem doença". Procurei saber se a homeopatia tinha uma ajuda e encontrei o seu blog.
- A prescrição que faz é para qualquer cão em qualquer fase da doença?
- Onde poderei comprar?
- Onde exerce a sua clinica?
Fico à espera da sua resposta.
Muito obrigada.
Teresa e Tico

José Maria Alves disse...

Boa noite
O tratamento indicado pode ser aplicado a qualquer canídeo.
Segundo a sua narração, o prognóstico é excelente, mas nada nos garante que não possam surgir recaídas.
Assim, como prevenção, poderá fazer semestralmente o tratamento mencionado no artigo do blogue.
Em qualquer momento, de reavaliação, caso surja necessidade de medicar alopaticamente o seu Tico, poderá complementar também tal tratamento com o homeopático - inexistem contra-indicações nesse sentido.
Os medicamentos podem ser adquiridos em qualquer farmácia ou parafarmácia - sob encomenda -, na Farmácia Homeopática de Santa Justa ou na Farmácia Melo, na Amadora.
Não exerço clínica, mas estou sempre disponível para quem necessite do meu humilde auxílio - o meu email é: homeoesp@mail.com
Desejo-lhe as melhorias do seu amigo de quatro patas.
Respeitosamente

José Maria Alves

José Maria Alves disse...

Peço desculpa - homeoesp@gmail.com

Manuel disse...

Doutor José Alves, há já algum tempo que sigo o seu site e só há pouco tempo descobri o seu blog. Achei interessante este protocolo de tratamento e aconselhei um amigo que tem um cão nesta situação a aplicá-lo. No entanto tenho a dúvida de por quanto tempo se deve repetir este protocolo? Desde já muito obrigado, Manuel Páscoa

José Maria Alves disse...

Boa noite Manuel

Complementando a prescrição que tenha sido feita pelo veterinário assistente, repita o Protocolo de 6 em 6 meses.

Um abraço e as melhoras do nosso amigo de quatro patas.

Zé Maria Alves

rafinha disse...

Oi tudo bem?
meu cachorro BARTO,fez o exame e constatou que ele tem a doença, os sintomas que apareceu nele foi conjutivite e o pelo que ficou ralo, o veterinario dele receitou alopurinou, mas no entanto gostaria de saber se posso ministrar no barto se tratamento que você ensinou?
Desde ja agradeço.

Att,
Rafaele.

José Maria Alves disse...

Boa tarde Rafinha

Sem descurar o tratamento que foi indicado pelo médico veterinário, complemente-o com o meu protocolo.

Vá dando notícias e as melhoras do seu amigo de quatro patas.

Um abraço.

Zé Maria Alves

Jennifer J. Gray disse...

Apreciado Jose Maria:

Eu vi no seu blog o tratamento para a leishmaniose, mas tenho uma dúvida,
Quantos grânulos devem ser diluídos em 2 ml de água?,

obrigado pela vossa ajuda, patricia

José Maria Alves disse...

Boa tarde Patrícia

Doze grânulos dos pequenos ou doze gotas.

Um abraço e as melhoras do seu amigo de quatro patas.

Zé Maria Alves

Cristina disse...

Dr José Maria, gostaria de saber se devo administrar as 12 gotas de uma só vez, ou fracionadas ao longo do dia?
crismmorio@hotmail.com

José Maria Alves disse...

Boa noite Cristina

Quanto pesa o nosso amigo de quatro patas? O peso está em conformidade com o peso médio da raça?

Fico a aguardar.

Abraço.

Zé Maria Alves

luciene disse...

Boa noite!
Me desculpe se por acaso nao tenha lido, mas me diga e quanto a prevençao? Quais homeopatias podem ser usadas? Tenho um filhote e gostaria de prevenir essa doença.
Desde ja agradeço sua atençao.
Luciene

Lucilandia disse...

Dr. Jose Maria,
Gostaria de saber se um animal que já fez tratamento, mas não negativou ainda pode continuar com a homeopatia, mesmo tendo problema renal.
Achei muito legal sua iniciativa.
No aguardo, um abraço

GIANI disse...

Bom dia Dr Jose !!
encontrei hoje por acaso seu blogger..me deixou muito animada pois meu cao pastor ja tem essa maldita doença ha 1 ano porem o tratamento é muito caro e tb doloroso para meu cao pois aplico injecao 2 vezes ao dia e alem dos medicamentos ..enfim muitos medicamentos todos os dias.
Gostaria de saber se posso interomper esse tratamento e iniciar o metodo seu homeopatico?

ATENCIOSAMENTE
giani_legis@hotmail.com

José Maria Alves disse...

Boa noite Giani

Faça o tratamento tal como consta do blogue.
As indicações são precisas - leia o artigo com atenção.

Não páre com o tratamento que lhe foi imposto pelo veterinário do seu amigo de quatro patas.
Apenas o deverá fazer, quando o tratamento homeopático começar a produzir efeitos relevantes. Mesmo assim, deverá ser o veterinário a reduzir progressivamente a medicação alopática.

Um abraço e as melhoras do seu amigo.

Edelner disse...

Minha cachorrinha adquiriu a doença recentemente e meu veterinário disse que não tem o que fazer.... Só com esse tratamento , eu consigo resolver o problema?

José Maria Alves disse...

Boa noite Amiga

Pode não curar.
Mas estou certo de que vai melhorar muito a sua amiga de quatro patas.

Não hesite em fazer o tratamento.

Abraço e as melhoras da sua "amiguinha".

Mauro S. Carvalho disse...

Boa noite Doutor, minha cadela (labrador - 30 kg) foi vacinada durante toda sua vida (5 anos), mas acho q ficou nos 5% da ineficácia da vacina, estamos sofrendo muito. Aparentemente tem apresentado escoriações próximo do olho e focinho, os cotovelos dianteiros também estão bem marcados. Há um mês foi feito exame de sangue e o rim e o fígado, baço, estão sem nenhuma alteração, como é vacinada o exame sorológico não adianta para termos certeza. Faremos outro. A minha pergunta é: O tratamento homeopático que o senhor nos apresenta serve tanto para a Leshimaniose Visceral quanto para a Cutânea?. Ficarei muito feliz em receber sua resposta, está sendo um período triste para minha família.

José Maria Alves disse...

Bom dia Amigo

Comece por fazer antes do tratamento mencionado, durante dez dias »
ARSENICUM ALBUM 200 CH, 3 gotas diárias diluídas em água e ministradas através de uma seringa.

As 3 gotas diluídas em água podem ser ministradas repartindo as tomas ao longo do dia.

Aguarde dois ou três dias e comece o tratamento que consta do artigo.

Se notar algo de anormal, dê notícias.

Um abraço e as melhoras da sua amiga de quatro patas.

PULGAS & Cª disse...

Boa tarde Dr. Jose Alves, preciso da sua ajuda acolhi um epaguel breton a que foi detectada leishmaniose visceral, ja houve tentativa de iniciar o tratamento com injectaveis mas sempre sem sucesso pois os valores renais estao alterados, entretanto ja faz alopurinol e ripercol. E tambem tem anemia. Para alem do protocolo para o tratamento da leish que acima indica havera algo mais que me possa indicar para ajudar a recuperação dos rins e anemia?

José Maria Alves disse...

Boa tarde Amigo

Sugiro por ora apenas o protocolo do artigo.

Decorrido o primeiro tratamento, reavaliamos.

Um abraço e as melhoras do cachorro.

PULGAS & Cª disse...

Bom dia Dr Jose Alves agradeço desde ja a sua reposta gostaria eque me esclarecesse a penas uma questao segundo entendo o tratamento e feito sensivelmente com intervalos de 2 dias, ou em dias continuados sendo que em alguns deles o se repete protocolos de dias antariores? ASgradeço que me esclareça mais esta pequena duvida. Cump RB

José Maria Alves disse...

Isso Amigo

Com intervalos e com repetição da toma e do medicamento.

Se preferir escreva em cada dia aquele para qual se remete. Isso irá facilitar a orientação terapêutica.

Um abraço.

Fersan disse...

entendi o tratamento o que nao compreendi o que significa esse "CH" acompanhados com diferentes numeros - é o tipo de dosagem vendida?

José Maria Alves disse...

Boa noite Amigo

Isso.

Essa é a identificação do medicamento para que o farmacêutico saiba qual a diluição que lhe vai vender.

Um abraço.

Ederson Caldas disse...

Olá, terminei o tratamento sugerido até o 24º dia. E agora?