Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

domingo, 26 de julho de 2009

A DOENÇA EM HOMEOPATIA




A saúde configura-se como um estado de harmonia entre a mente e o corpo, estado esse que pressupõe o equilíbrio, quer das funções cerebrais, quer dos diversos órgãos.
A doença na concepção de Hahnemann, é algo invisível. É um distúrbio da força vital invisível. Hahnemann considera como força vital a vida que anima um ser vivo. Toda a globalidade psicossomática da entidade viva estruturada no interior de um invólucro, que sem os compostos que o “animem”, nada mais é do que um cadáver.

A definição de saúde não é compreensível sem que tenhamos em linha de conta o “ser” global, nos seus três níveis de existência: o mental, o emocional e o físico. “A carência fundamental da medicina moderna, mecanicista e materialista, é a de ter ignorado e ocultado a realidade holística do ser humano no âmbito da saúde e da enfermidade. Também é consequência de ter ignorado e ocultado as leis da vida por uma ausência total de educação e de informação” – Laurent Messian.

A nossa luta permanente, desde o nascimento até à morte, constitui-se como um combate duradouro contra as agressões do meio ambiente, o que implica um equilíbrio dos três níveis de existência e um fortalecimento constante do sistema imunitário. Estamos doentes, em regra, quando o nosso sistema imunitário é portador de uma deficiência específica. Tratar uma determinada patologia ou prevenir patologias futuras, implica grosso modo, o reequilíbrio de todas as nossas funções e consequente reforço da imunidade.

A doença que não tem necessidade de intervenção cirúrgica ou é aguda, crónica, por abuso de medicamentos ou por deficientes condições de vida.

Muito antes da conceptualização da Medicina Psicossomática, Hahnemann afirma que existem doenças psíquicas geradas por doenças físicas e moléstias orgânicas condicionadas pela persistência de ansiedades, aborrecimentos, irritações, injustiças, medos, mágoas e traumas, que em pouco tempo podem destruir a saúde física.

As doenças do homem físico, são as do homem psíquico. Quanto mais forem as queixas físicas, mais doente estará o indivíduo. Se predominarem as queixas psíquicas, a terapêutica homeopática será extraordinariamente eficaz impedindo que o paciente seja acometido ulteriormente por padecimentos orgânicos.

Na doença aguda, decorrendo da sua actualidade, os principais sintomas são facilmente individualizáveis, exigindo-se um pequeno esforço do homeopata e do paciente para se delinear o quadro clínico.
Seleccionado e ministrado o correcto medicamento homeopático, a doença declinará imperceptivelmente, levando algumas horas se é de recente instalação ou mais tempo se for de longa duração constatando-se primariamente a melhoria do estado mental. Um aumento do conforto, da serenidade e de certo modo, da alegria com retorno ao estado natural de equilíbrio, é um índice seguro de melhoria.


COABITAÇÃO DE DOENÇAS


Não deixa de ser frequente, que duas ou mais doenças coexistam no mesmo organismo simultaneamente. Caso tal facto suceda, a força relativa das enfermidades é que determina qual prevalecerá.
Na presença de duas doenças distintas no mesmo organismo e sendo a mais antiga de força superior à que foi contraída recentemente, observar-se-á que a mais actual será repelida pela original – não se verifica uma aniquilação da enfermidade mais recente, mas sim, uma total inabilidade desta em penetrar no organismo. Caso a doença recentemente instalada tenha uma força superior à doença que já residia no organismo, ocorrerá que a mais antiga permanecerá estacionária até que a neoformada complete o seu curso natural.
Resulta deste conceito que a “Dinamis” ou “Força Vital” não consegue curar uma doença com a instalação de uma outra diferente – “ A Natureza não consegue curar uma doença com a instalação de outra, mesmo que mais forte se a nova doença for diferente daquela já presente no organismo” –, mesmo de força superior. Somente nas circunstâncias em que ambas as doenças se assemelham na sua sintomatologia é que se experimenta a aniquilação mútua das enfermidades.
Dificilmente uma doença aguda constituirá um quadro complexo com uma crónica. Aquela excluirá esta, temporariamente.


IATROGENIA


No seio das doenças crónicas surge um grupo de enfermidades que tem aumentado no decorrer das décadas e que, infelizmente, se assumem como as mais graves e incuráveis das doenças de longa duração. Referimo-nos às doenças iatrogénicas, ou seja, aquelas que são produzidas por acções médico-terapêuticas inadequadas.
Aqui vai assumir uma importância, que não pode ser atribuída a qualquer outra terapêutica ortodoxa ou alternativa, a Isopatia, com a inerente dessensibilização do organismo, extirpando as toxinas acumuladas pelo efeito antídoto.

Hahnemann afirma ser praticamente impossível proceder à cura de tais enfermidades, após estas terem ultrapassado certa fase do seu quadro evolutivo.
Noutro artigo, teremos em conta as denominadas barreiras ou obstáculos produzidos por medicamentos alopáticos ao pleno efeito dos medicamentos homeopáticos.



JOSÉ MARIA ALVES
http://www.homeoesp.org




9 comentários:

Maria João disse...

Olá Dr. José Maria,

Há um tempo atrás uma médica alopata indicou-me o medicamento Enax (nome comercial), que vem a ser Equinacea purpurea, para aumento da imunidade. É um medicamento fitoterápico. Questionei à época se poderia tomar como homeopatia, uma vez que já havia tomado arnica e calendula após uma cirurgia e gostei do resultado. A médica não soube me responder pois disse que não sabia como a homeopatia trabalhava, disse ainda que não acreditava, que para que a homeopatia funcionasse era preciso ter 'fé'. Disse apenas que a equinacea não deveria ser tomada por mais de um mês seguido.

Bom, continuo com a dúvida. Na homeopatia a equinacea é usada para aumento de imunidade? Se sim como posso tomá-la?

Desculpe se a pergunta foi confusa. Procurei no site mas não encontrei. Fico grata pela vossa atenção.

José Maria Alves disse...

Bom dia Maria João

A ECHINACEA ANGUSTIFOLIA, tem em Homeopatia uma acção cicatrizante e do aumento da resistência do mesenquima. Ou seja, produz uma maior libertação de leucócitos. Daí, o aumento da imunidade.

Tem como aplicação clínica, o tifo, carbúnculo, septicemia (aqui o medicamento mais indicado seria o Pyrogenium), erisipela, tendência a fazer gangrenas e no geral, em todos os processos em que nos deparamos com a necessidade de aumentar a resistência mesenquimal.

Em síntese, deverá aplicar-se em infecções latentes e crónicas - não deve ser tomada em patologias auto-imunes.

Quando se toma ECHINACEA para os mencionados efeitos, pode usar-se da tintura mãe (que se "assemelha" ao medicamento que neste momento toma) até uma 4 DH.

Um abraço

Zé Maria Alves

Maria João disse...

Dr. José Maria,

Agredeço muito a resposta, anotei as explicações!

Abraços,

Maria João.

Ana Prada disse...

Boa tarde, Dr. José Maria

Gostaria de saber se vacina, especificamente a da Gripe H1N1, depois de tomada, pode causar exaustão física e mental, resfriados bastante fortes com elevação de temperatura, impaciência, desordens alimentares e aumento de peso, dores musculares, perda de energia física. No caso de maus efeitos de vacinas, qual medicamento homeopático seria adequado? O quadro refere-se atualmente à minha filha, hoje com 27 anos, mas logo que nasceu tomou as vacinas de praxe iniciais e logo depois o Cedipe (centro de vacinação em S. Paulo, Capital) pediu para revacinar, devido a um "problema" com o lote de vacinas. A conselho do pediatra homeopata, não revacinei. Mas o fato é que desde aquela época, minha filha ficou com a saúde mais fragilizada, especialmente constantes e terríveis amidalites, prisão de ventre, enfim, não era uma criança forte. Gostaria, se possível, da sua orientação e comentário.
Grata pela atenção,

Ana Maria

Ana Prada disse...

Boa tarde, Dr. José Maria

Minha filha tomou a vacina para a gripe H1N1 (gripe suina) e desde então, está sempre indisposta, cansada, com resfriados fortes, temperatura alta e dor de garganta (extraiu as amidalas aos 18 anos; hoje tem 28 anos). Ela é psicóloga, autora teatral e é professora de teatro. Trabalha demais. Como ajudá-la? Creio que esse quadro é por conta da vacinação. Muito grata, Ana Maria.

José Maria Alves disse...

Boa tarde Ana

As vacinas..., principalmente a H1N1..., vou abster-me de comentar o que tão comentado está, apesar da divulgação destes comentários deixar muito a desejar.

Vamos ver se estamos perante uma "vacinose". Pelo que narra, é bem possível que sim. Então teremos de aniquilar os denominados "maus efeitos" da vacinação.

Neste blogue encontra um artigo VACINA, MAUS EFEITOS » use o pesquisador do canto superior esquerdo.
Pode também encontrá-lo no NOVO REPERTÓRIO CLÍNICO HOMEOPÁTICO (POR PATOLOGIAS) » veja as ETIQUETAS no fim da página e vá abrindo as mensagens até chegar à letra V.

Assim, tome THUYA 30 CH - em vez de 5 gotas de uma vez, tome uma dose única (no Brasil, acho que lhe chamam "papelote").

Se tiver dúvidas dê notícias.

Um abraço e as melhoras.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Prezado,

Saberia por favor informar se a Equinacea purpurea é eficaz no tratamento/prevenção da herpes labial? Em caso positivo devo solicitar na farmácia homeopática a tintutra com qual composição/dosagem? Tenho 39 anos... Me responda por favor: marcantx@gmail.com
Muito obrigado! Marcelo

José Maria Alves disse...

Boa noite

Por imperativos éticos, como consequência de deliberação da Associação Portuguesa de Homeopatia de 20 de Dezembro de 2010, é-me vedado sem observação directa dos pacientes, sugerir quaisquer tratamentos, devendo estes ser seguidos por terapeuta ou médico.
Assim, o presente blogue pessoal passa a ter um carácter meramente informativo.

Mas, veja no nosso site pessoal www.homeoesp.org » MENU » LIVROS ONLINE » NOVO REPERTÓRIO CLÍNICO HOMEOPÁTICO (por patologias) os artigos relacionados com o seu caso clínico, nomeadamente HERPES LABIAL.

-----------------------


No entanto, agradeço também, que pesquise o artigo referente à sugestão de tratamento através do método da AUTO-ISOPATIA ENERGÉTICA (vale a pena tentar; estou certo de que se irá espantar com as melhorias obtidas!)

Digite no pesquisador do blogue: AAA (para facilitar a pesquisa).

Aí encontrará todas as indicações necessárias à preparação do medicamento.

Um abraço e as melhoras.

Zé Maria Alves

José Maria Alves disse...

Em tempo - veja no dito artigo, o PROTOCOLO de dois medicamentos » HEPAR SULPHUR e ARSENICUM ALBUM.

Abraço.