Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

terça-feira, 28 de julho de 2009

PROVÉRBIOS ESCOLHIDOS - (S)





Sábado, cobrança; domingo, lambança; segunda, fartura; terça, ainda dura; quarta, pouco farta; quinta, faminta; sexta, esperança.

Sabe Deus as linhas com que cada um se cose.

Saber como se faz uma coisa é fácil, fazê-la é que é difícil.

Saber conversar é dizer o que é conveniente, dizer apenas o conveniente e dizê-lo de maneira conveniente.

Saber esperar é uma grande virtude.

Saber muito não evita que nos enganemos um pouco.

Saber na ponta da língua.

Sacristão novo cospe fora da igreja; sacristão velho mija no altar.

Sacudir a água do capote.

Saiba viver oculto quem quiser ser feliz.

Sair o tiro pela culatra.

Saltou o peixe, alegrou-se o tempo.

Sangue de negro é vermelho como o de branco.

Santo da terra não faz milagres.

Santo, só Deus.

Santos da casa não fazem milagres.

Santos de pau carunchoso.

São as tavernas as boticas onde se vende a loucura engarrafada ou o entusiasmo aquartilhado.

São de intolerantes as mais severas acusações de intolerância.

São favas contadas.

São lágrimas suspeitas as dos ratos nos enterros dos gatos.

São mais as vozes do que as nozes.

São mais os casos que as leis.

São mais que as mães.

São necessárias muitas mentiras para sustentar uma.

Sapo na água coaxando chuva beirando.

Sarampo, sarampelho, sete vezes vem ao pêlo.

Saúda a árvore que te abriga que bem o merece.

Saúde e paz, dinheiro atrás.

Se a alma não vê, de que servem os olhos?

Se a comida vires fazer, fartas-te antes de comer.

Se a tua mulher pensar em te atirar de uma janela pede a Deus que seja um rés-do-chão.

Se as armas falam, as leis calam.

Se as consequências dos actos condenáveis servissem de exemplo, há muito que não havia actos condenáveis.

Se bebes vinho não bebas o siso.

Se cair não passa do chão.

Se corres como mentes, vamos às lebres.

Se Deus não perdoasse a ladrão ficaria sozinho no céu.

Se Deus quiser e a justiça da terra consentir.

Se em Novembro ouvires trovão o ano que vem será bom.

Se em paz quiseres estar, deves ver, ouvir e calar.

Se és demasiado doce, comer-te-ão.

Se eu pudesse adivinhar, jogava na lotaria.

Se fores infeliz, não o digas a ninguém.

Se a ignorância pagasse imposto.

Se maior fosse o dia, maior era a romaria.

Se Maomé não vai à montanha, que vá a montanha a Maomé.

Se não convém não faças, se não é verdade não digas.

Se não faz vento não faz mau tempo.

Se não fosse o mau gosto, o que seria do amarelo?

Se não houvesse mais alhos que canela, o que eles valem valeria ela.

Se não houvesse ocasião não haveria ladrão.

Se o amor fosse cardeal há muito o Demo seria papa.

Se o bem falar é ouro, o mal falar é lodo.

Se o estrume não é santo, é certo que faz milagres.

Se o lacrau visse e a víbora ouvisse, não haveria homem que ao campo saísse.

Se o trabalho dá saúde trabalhem os doentes.

Se o vento norte ventar vai-te à fogueira sentar.

Se os homens só falassem do que entendem, em breve o mundo estaria envolto em silêncio.

Se queres bem casar, casa com teu igual.

Se queres enfermar, lava a cabeça e vai-te deitar.

Se queres o teu homem morto dá-lhe sardinhas em Maio e couves em Agosto.

Se queres que te façam justiça, sê justo.

Se queres ser bom juiz, ouve o que cada um diz.

Se queres ter um servo fiel e amigo, serve-te a ti mesmo.

Se toda a gente soubesse o que toda a gente diz de toda a gente ninguém falava a ninguém.

Se um diz “mata”, o outro diz “esfola”.

Sede prudentes e reservados, mas não misteriosos.

Segredo contado é logo espalhado.

Segredo de dois, segredo de Deus; segredo de três, segredo de todos.

Segredo meu, sabê-lo eu.

Segue a moda ou abandona o mundo.

Segue tu sempre a razão, embora a uns agrade e a outros não.

Sejamos unidos e seremos fortes.

Sem amor a ciência é vã.

Sem Deus nem até à porta e com Deus através dos mares.

Sem eira nem beira.

Sem peso nem medida.

Sem rei nem roque.

Sem ter onde cair morto.

Semear mentiras para colher verdades.

Sempre o mesmo para variar.

Sempre que Deus fecha uma porta abre uma janela.

Separar o trigo do joio.

Ser mais conhecido que puta.

Ser mais papista que o Papa.

Ser o bombo da festa.

Ser paciente e esperar, alivia muito pesar.

Ser pau para toda a obra.

Ser rico é uma condição feliz, mas poucos ricos são felizes.

Ser senhor do seu nariz.

Serra e mar sempre têm que dar.

Servir a Deus e ao Diabo.

Servir de testa de ferro.

Sete vezes peca o justo.

Setembro é o Maio do Outono.

Setembro ou seca as fontes ou leva as pontes.

Setembro, vindimar.

Siso em prosperidade, amigo em necessidade, mulher rogada e casta, raramente se acha.

Só dura a mentira enquanto a verdade não chega.

Só lembra Santa Bárbara quando troveja.

Só o rio e a puta é que trabalham na vida deitados.

Só pega no que é dele quando está mijando.

Só trabalha quem não sabe fazer mais nada.

Sobeja é a mulher onde esteja, mas onde não está falta fará.

Sociedade só com mulher e assim mesmo nem sempre convém.

Sofre de medo quem tem medo de sofrer.

Sogra e madrasta, só o nome basta.

Sogro, sogra, batata e furão só dão alguma coisa debaixo do chão.

Sol claro no poente, boa está a noite e a manhã excelente.

Sol de Inverno, chuva de Verão, choro de mulher, palavra de ladrão, ninguém caia, não.

Solteirão vive como um príncipe e morre como um cão.

Somos tão ciosos da nossa liberdade e enclausuramos os pequenos alados.

Somos todos filhos de Deus.

Sossego traz desejos.

Sou bobo mas sou feliz: mais bobo é quem me diz.

Sou tão comodista que até sou honesto.



JOSÉ MARIA ALVES
http://www.homeoesp.org










Sem comentários: