Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CHENG TZU-ANG (656-698) - O SÁBIO ESQUECE-SE DE SI



O sábio esquece-se de si,
só pensa na humanidade,
ignora os Paraísos,
as recompensas do outro mundo.

Ouvi dizer que o Buda
ensinava uma doutrina pura.
Mas se assim é, para quê
tantos ídolos de madeira dourados?

Os céus que formam o tecto do mundo
dissipar-se-ão como uma nuvem.
Como é que os ídolos hão-de sobreviver
se são apenas obra dos homens?

Tradução de António Ramos Rosa

Sem comentários: