Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DELMIRA AGUSTINI (1885-1914) - O INEFÁVEL






Eu morro estranhamente... Mas não me mata a Vida,
a Morte não me mata, não me mata o Amor;
morro de um pensamento silente qual ferida...
Não sentistes jamais a estranha dor

de um pensamento imenso que se arraiga na vida
devorando alma e carne, sem conseguir dar flor?
Nunca levastes dentro a estrela adormecida
que vos abrasava todos e não dava um fulgor?

O cume dos Martírios!... Levar eternamente,
dilacerante e árida, a trágica semente
como um dente feroz nas entranhas cravada!...

Mas arrancá-la um dia na flor que, salvadora
e inviolável, se abrisse... Ah, maior não fora
ter a cabeça de Deus entre as mãos levantada!

Tradução de José Bento

Sem comentários: