Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

JOÃO DE DEUS (1830-1896) - MISÉRIA





Era já noite cerrada,
Diz o filho «Ó minha mãe,
Debaixo daquela arcada
Passava-se a noite bem!»

A cega, que todo o dia
Tinha levado a andar,
A tais palavras do guia
Sentiu-se reanimar.

Mas saltam dois cães de gado,
Que eram como dois leões:
Tinha-os à porta o morgado
Para o guardar dos ladrões.

Tornam os pobres à estrada,
E onde haviam de ir dar?
Ao palácio da tapada
Onde el-rei ia caçar.

À ceguinha meio morta
Torna o filho: «Ó minha mãe,
Ali no vão de uma porta
Passava-se a noite bem!»

- Se os cães deixarem (diz ela,
A triste num riso amargo).
Com efeito a sentinela:
- «Quem vem lá?... Passe de largo!»

Então ceguinha e filhinho,
Vendo a sua esperança vã,
Deitaram-se ao caminho
Até romper a manhã!...

Sem comentários: