Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

UM CRIME CONTRA SI MESMO




Sentara-se numa pedra de granito fosco aquecido pelo sol ardente do pensamento
A mente divagava pelos corpos macios e expostos na colina
A carne ansiava pelas sedas a esvoaçar no Oriente lânguido efervescente e pelos palácios suspensos de fino mármore
Os prazeres do leite derramado em coxas vivas e do néctar sulfuroso das taças sem fim esmagavam cruéis toda a ânsia de libertação no sentido da existência
Tarde o compreendeu
Cometia um crime contra si mesmo Era a sua perda e destruição
O mais calamitoso dos delitos


Sem comentários: