Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A BONECA DO BAZAR CHINÊS




A chuva escorre límpida nos beirados que o Sol constrói na cidade

Transeuntes atropelam-se
Fugitivos da vida com guarida nos subterrâneos iluminados de rostos doentios

O burgo fica deserto nas almas estranguladas das ruas alagadas
Conspurcadas pelo fumo de intermináveis cigarros da angústia

O transporte para um outro mundo tarda
Carris enferrujados dos sentidos execráveis
Das sensações duvidosas de corpos alheados da emoção cristalina da generosidade

Dois homens à porta da barbearia
Os seus olhos directos
Absortos
Nos anúncios pecaminosos dum bazar chinês
Onde tudo se vende

Vê-se que não pensam
Porque se pensassem não estariam à porta
Entrariam
E sentados no recolhimento dos cabelos espalhados pelo chão
Meditariam numa existência similar a uma peruca
Ligeiramente encaracolada
A enfeitar a boneca rosa oculta
Na vitrina chinesa


http://www.homeoesp.org/livros_online.html

Sem comentários: