Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 1 de abril de 2013

NAVIO TUMBEIRO





no ermo árido o vento desentoca os ossos furibundos

contentes as folhas de árvore em turbilhão embrionário

nas pedras negras uma flor sonolenta desperta do fingimento da escravidão sôfrega de mágoa
o navio tumbeiro prossegue no grande mar oceano  

um grito ecoa
troco metade da minha existência pela pele de um ofídio 
pus dos recantos inóspitos da humanidade
e a outra metade pelo olhar meigo de uma pomba
pela luz da mais pequena estrela de cristal

olhos lacrimantes onde se inflamam alvoradas selváticas
hora da palavra transmudada em gládio




Sem comentários: