Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A CRIAÇÃO DA ALMA




continuo sem dormir     no marulho das ondas contra a praia o mar soçobra     como um afogado asfixia-se

é urgente construir uma nova alma como quem obra sólida barca para atravessar o abismo 
esta não me apraz     nela nada pode morar para além das imprestáveis velharias acumuladas pela miserável angústia dos espaços nebulosos
xavecos dum ontem apagado à percussão do badalejo das cava-terras     velhas à soalheira 
enegrecidas são suas paredes     lamacenta na profundidade condicionante e inquinada à superfície
de madrugada ascende-se à serra

na noite escura o pedreiro tomando em si desmedida paciência
com mãos sedentas irá armar pedra a pedra  até que o multíplice seja uno
vazio de porta aberta ao porvir e à sua querença
sem escolha sem desejo por onde tudo passa sem criar raízes
como espelho vário de tudo e nada 
como espelho cintilante e astuto
lúcido corajoso solitário 

apenas uma alma desapossada das mil e uma formas pode adquirir o absoluto   

por ora
dele não digo sim nem não     nada assevero ou refuto não me atenho à aparência     não
tenho apenas por companheiro 
o fiel silêncio
e um dedo
aventando o caminho
sem realidade e existência

bem-aventurado o que não observa o dedo
e se queda no mutismo





Sem comentários: