Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

domingo, 26 de outubro de 2014

O AR DA CIDADE



o ar da cidade tiraniza-me o peito
na esplanada deserta o calor sufoca a melancolia das cadeiras com nomes fictícios e ilusórios de falsos cartórios e registos 
mortos-vivos        há uma névoa fervente em cada passante        o dono do café sorri enquanto conta as moedas seu sentido de vida derradeiro 
nem uma mulher bonita
só canhões e mastronças
asnos e anões
velhas aos saltos
alguns carros      muitos
muitas geringonças
uma bicicleta
pimbas na televisão
uma criança pela mão
a besta do avô e o burro do neto
e eu para aqui
tão longe e tão perto





Sem comentários: