Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 4 de junho de 2014

O FIM DO MUNDO HUMANO - ATÉ 2040






Cientistas prevêem extinção da humanidade até 2040


Um depoimento sério a que muito poucos  irão dar atenção.
Talvez seja assim, talvez não, mas em poucas décadas só os incautos não se aperceberam das nefastas modificações climatéricas e do comportamento animal e vegetal – já para não falar especificamente das alterações psíquicas e somáticas do animal-humano.

Obviamente que o mundial de futebol é bem mais importante, com os seus ídolos, verdadeiros gigantes-pés-de-barro,  como mais importante são as jovens modelos e os reizinhos, as princesas de cordel, as novelas e seus actores, os concursos da moda, os laureados, os cantores-pimba, os escândalos das revistas cor-de-rosa. 

Se julgarem que vale a pena, se assim o entenderem, até por mera curiosidade, ouçam o Homem – não tem ilhas no Brasil, não namora nenhuma escultura-sem-cérebro, não é estrela de concursos televisivos mediáticos, não é manequim-sem-sentido, actor laureado ou excêntrico super-milionário.
É sério, culto e reconhecemos-lhe sabedoria. Quanto ao resto, o tempo o dirá…








segunda-feira, 2 de junho de 2014

O REGRESSO DAS AVES NOCTURNAS




o regresso das aves nocturnas à mancha esverdeada do testemunho dos infiéis     o sol cai no mundo dos homens entre placas de mármore carregadas de distantes e altaneiras montanhas
ela esperava-o naquela estação cinzenta e fria adornada a mendigos e ouriços solitários     na vastidão do desejo o lótus encarnado e entumecido agitava-se no fumo branco de uma lágrima 
ah as luzes naquele mar imenso da planície ribatejana   sonho de um orgasmo com ramos crescentes
era impossível descrever a ânsia primaveril do coração  submergido nas longas noites de incenso devastado     o beijo do encontro já possuía a essência da peçonha de todas as partidas
árvores verdes brotavam das searas sumidas no êxtase oculto do biombo lacado
um ceptro adocicado modelou a escuridão de seu corpo incendiado





SANTA COMBA DÃO




santa comba dão     mais além nelas
as vinhas estão mortas e oliveiras entristecidas pregam o olhar no chão
um pinheiro manso repousa no telhado do pavilhão
giestais florescem onde antes ao som das cantigas as enxadas rasgavam a terra
vozes antigas das raparigas 
um pequeno laranjal alberga todos os planetas do mundo



http://www.homeoesp.org/livros_online.html



NELE ESTOU VIVO




por vezes 
não sou eu que escrevo
que penso     que vivo
alguém vive no meu espírito
pensa o que não penso
dita o que escrevo
diz o que não digo
e se de mim estou morto
nele estou vivo


http://www.homeoesp.org/livros_online.html



PEQUENOS POEMAS




os dias deviam ser ronceiros
como lesmas sem rastro
ou veleiros em delicada brisa



três chaminés enormes
em perfeita quietude –
que desperdício



abomino telhas e soalhos
não assim o céu e o mar
na maresia que em mim nasce



para esta viagem
a melhor companhia
é o silêncio da solidão



sol do meio-dia 

no rio a imagem do céu
na cabecita da rã



dia de primavera –
as ruas sujas da cidade
ignoram-no



do longo e frígido inverno
nasceu fugaz primavera
como paixão de amantes



a seara na serra
é um mar verde
a ondular ao vento



no cemitério entre mortos
leio as inscrições da memória –
uma lágrima inunda os sepulcros



inverno chuvoso –
no campo alagado
dois cães fazem amor


http://www.homeoesp.org/livros_online.html