Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

POEMAS SEM NEXO NUM PASSADO SEM SISO



vento norte do destino escrito na costa escarpada e sulcada pelo medo da espuma em destroços        um sinal        recomeço de vida nos olhares rasgados do musgo pendente do velho muro      urro de temporal
nas escotilhas adormecidas estão os fantasmas das margens pantanosas da mente
castelos erguidos por miragens nos campos ceifados      tapetes sangrentos das vítimas em oração
na lonjura as nuvens caladas      na distância as cidades explodem na fuligem dos primeiros transportes da madrugada
há insectos nas viagens sem repelentes      bétulas escurecidas pelo hálito ferruginoso dos operários    desvario das noites por dormir        a escuridão da idade      o riso
poemas sem nexo
num passado sem siso



Sem comentários: