Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

Pesquisar neste blogue

A carregar...

segunda-feira, 20 de Julho de 2009

LEUCEMIA AGUDA LINFOBLÁSTICA - TRATAMENTO HOMEOPÁTICO



PROTOCOLO –
NATRUM MURIATICUM 30 CH, 5 gotas uma vez por dia;
KALIUM MURIATICUM 6 DH e FERRUM PHOSPHORICUM, juntos, 2 gotas de cada, duas vezes por dia.

Com febre – EUPATORIUM PERFOLIATUM 30 CH.
Com pneumonia – HEPAR SULFUR 6 DH, 5 gotas duas vezes por dia.


Veja-se neste blogue o artigo »
TRATAMENTO HOMEOPÁTICO II –utilize o pesquisador do blogue.

JOSÉ MARIA ALVES
http://www.homeoesp.org/

11 comentários:

Anónimo disse...

Em Outubro de 2006, a minha mulher teve uma pneumonia que só mercê duma assistência muito profissional e interessada do médico que a tratou, foi possível debelar.

Quando teve alta, o médico aconselhou a consulta de um hematologista.

Chegou-se à conclusão de que ela tinha LLC.

Escusado será descrever a angústia que se gerou no ambiente familiar.

O médico que a assiste no sistema de saúde disse após a verificação do sucedido que, já se tinha apercebido, creio que em Junho ou Julho anterior, da existência da anormalidade hematológica.

Anónimo disse...

Isto serve para esclarecer que a doença se começou a instalar em princípios do ano.

Muita angústia, muita ansiedade em procurar aquilo que parece não existir.

O autor destas linhas é pessoa ávida de saber um pouco de tudo, lê bastante sobre saúde, principalmente natural, tinha e tem há já algum tempo o "A Dieta do Tipo Sanguineo" do Dr. Peter D'Adadamo, na sua 21ª primeira edição, que diz a pgs.271 o seguinte:

"Linfomas, Leucemias e Doença de Hodgkin. Essas são formas de câncer para as quais as pessoas de tipo O têm tendência - talvez. Embora esses canceres do sangue e da linfa aflijam preferencialmente as pessoas do tipo O,eles podem não ser canceres verdadeiros afinal, mas antes infecções viróticas que atacam furiosamente. Isso pode fazer algum sentido à luz do que se conhece a respeito das pessoas do tipo O; eles enfrentam muito bem a maioria dos tipos de câncer, mas o antigéno tipo O não é bem adequado para lutar contra os vírus."

Bom. Dito isto e já não lembro bem como, fui levado a página 276, que tem um artigo que é:

Anónimo disse...

"A Vacina Pneumovax"

Diz, entre outras coisas, o seguinte:

"As pessoas do tipo A (a minha mulher é do tipo A), obviamente não podem produzir anticorpos anti-A mas, a Pneumovax pode estimular o seu sistema imunológico, ajudando-o a reconhecer células cancerosas normalmente disfarçadas. Uma vez que a maioria dos canceres tem afinidade com o tipo A, a Pneumovax pode, aumentando os anticorpos anti-A, mobilizar os sistemas imunológicos de todos os tipos de sangue.
Várias outras vantagens que a vacina pneumocócica oferece incluem: é inofensiva; não é cara; evita certas formas de pneumonia; e mais importante ainda, gera iso-hemaglutininas.
As iso-hemaglutininas são anticorpos muito mais poderosos do aqueles que o corpo produz contra vírus e bactérias. As iso-hemaglutininas, são "exterminadoras". Elas aglutinan e matam suas presas sem a ajuda de outras células "assasinas" normais do sistema imunológico.As iso-hemaglutininas percorrem a corrente sanguínea como inocentes flocos de neve,mas quando atacam as células mudam de forma para se tornarem anticorpos tridimensionais, semelhantes a caranguejos. Elas são tão grandes que podem ser detectadas por um microscópio. As pessoas do tipo O ou tipo B podem realmente acelerar seus anticorpos anti-A tomando a Pneumovax a cada oito a dez anos. As de sangue tipo A ou tipo AB devem renovar a vacina mais frequentemente, de cinco em cinco anos."

Falei com o meu médico, pessoa bastante aberta e amiga, mostrei-lhe o que acabo de transcrever e ele não teve a mínima objecção em colaborar na experiência receitando logo a vacina.

Durante dois anos a doença foi correndo normalmente sem sobressaltos de maior.

Em Outubro do ano passado, na consulta de rotina, os valores apareceram aumentados, mais do que o normal - leucócitos e linfócitos - e a diminuir - eritrócitos e plaquetas.

A minha mulher começou a apresentar sintomas de anemia e em Janeiro por nossa iniciativa mandaram-se repetir as análises. os resultados, isto é, os valores estavam realmente a começar de ser assustadores e eu pedi ao meu médico a repetição da vacina, não estando à espera dos prazos sugeridos.

Este mês foram feitas as análises de rotina e a respectiva consulta sendo que, os valores estavam estacionários em relação a Janeiro.

Aqui deixo humildemente a minha descrição, ficando para cada um as considerações que lhes aprouverem.

Com os meus respeitos

Anónimo disse...

Senhor Dr.

Já agora aproveito para lhe perguntar se já viu o medicamento do Dr. Reckeweg R93...

José Maria Alves disse...

Bom dia amigo

Ficamos gratos pela narração da sua experiência, ou melhor, do tratamento em que tem colaborado, na pessoa da sua esposa.

Este sítio deveria tornar-se num local em que os pacientes trocassem informações terapêuticas, auxiliando-se mutuamente, já que nenhuma medicina, seja convencional ou alternativa se pode apresentar como detentora da verdade.

Que o seu contributo possa ser útil a muitos que sofrem, é o que mais desejo.

O medicamento homeopático que cita tem o seu uso terapêutico confirmado. Eu, pessoalmente, prefiro os complexos da Heel, mas trata-se de uma mera preferência.

Um abraço.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Boa tarde, Sr. Dr..

quando falei no medicamento era mais com intenção de chamar a atenção de V. Ex.ª para os remédios homeopáticos que o compõem (Medula, Linfócitos...)e isto porque me parece que se adequa ao assunto que estava a ser tratado acima. É que eu não conhecia estes elementos em Homeopatia - se calhar, ignorância minha...!

Os meus respeitos

José Maria Alves disse...

Boa noite Amigo

Agora entendi. Os laboratórios Heel também têm um grande número de organoterápicos, quer como medicamentos unitários quer como complexos.
Em determinados casos, eu adquiro os organoterápicos que me interessam para um determinado caso clínico e elaboro um medicamento complexo específico.

Os medicamentos complexos dos dois laboratórios, têm a virtualidade de nas suas bulas apresentarem toda a informação para poderem ser ministrados a determinados tipos de enfermos.

Um abraço.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Bom dia.

É certo que assim será só que, para mim o Reckeweg é muito fácil de buscar na internet, enquanto que o Heel é fechado ao povo como os alopáticos, pelo menos eu não consigo uma lista Heel como a da Reckeweg, talvez o meu bom amigo seja capaz de me guiar nessa tarefa.

Os meus respeitos

José Maria Alves disse...

Boa noite Amigo

Veja se consegue encontrar - o meu exemplar é em espanhol - o ORDINATIO ANTIHOMOTOXICA ET MATERIA MEDICA - TRATADO PRÁCTICO DE TERAPIA ANTIHOMOTÓXICA, editado pelos Laboratórios Heel.

Trata-se de um verdadeiro tratado da medicina homeopática complexista.

Um abraço.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Mas V. Ex.ª, tanto quanto me é dado observar, é unicista.
Es verdad?

Os meus respeitos

José Maria Alves disse...

Boa tarde

Sou Unicista, como pode depreender do conteúdo do meu site pessoal - www.homeoesp.org
No entanto, como o Unicismo é seguido por muito poucos homeopatas no mundo, atenta a sua dificuldade, por exigência no manuseamento correcto dos Repertórios Homeopáticos e do diagnóstico diferencial, optei neste blogue por transmitir os conhecimentos da denominada Homeopatia Popular.

Ou seja, que do mal maior venha o menor.
O problema é que os resultados não são tão eficazes quanto na formulação clássica hahnemanniana. Nesta, não há doenças, mas apenas doentes. Aqui, começamos por ter doenças e, procuramos compor o receituário com um ou mais sintomas caracteristícos do paciente.

Enfim, o bom é inimigo do óptimo...

Um abraço

Zé Maria Alves