Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sábado, 28 de agosto de 2010

GUILLAUME APOLLINAIRE - O MÚSICO DE SAINT MERRY





Tenho enfim o direito de saudar seres que não conheço
Passam diante de mim e amontoam-se ao longe
Embora desconheça tudo o que vejo neles
Nem por isso a sua esperança é menos forte que a minha

Eu não canto este mundo nem os outros astros
Canto todas as possibilidades de mim mesmo fora deste mundo e dos astros
Canto a alegria e o prazer de morrer a vaguear

Vinte e um de maio de mil novecentos e treze
Barqueiro dos mortos e dos ruidosos fantasmas de Saint Merry
Milhões de moscas sacudiam um esplendor
Quando um homem sem olhos sem nariz e sem orelhas
Deixando a rua Sebastopol entrou na rua Aubry-le-Boucher
Jovem era o homem e Moreno cor de morango as suas maçãs do rosto
Homem ah Ariane
Tocava flauta e a música guiava os seus passos
parou na esquina da rua Saint-Martin
Tocando uma ária que eu canto e inventei

As mulheres que passavam paravam a seu lado
Vinham de todas as partes
Mal os sinos de Saint Merry começaram a tanger
O músico parou de tocar e bebeu na fonte
Que se encontra na esquina da rua Simon-le-Franc
Logo que Saint Merry se calou
O desconhecido tocou a sua ária de flauta
E voltando sobre os seus passos foi-se até à rua de La Verrerie

Entrou nela seguido por uma turba de mulheres
Que saíam das casas
Chegavam das ruas laterais os olhos loucos
As mãos estendidas para o melodioso raptor
Ele caminhava indiferente tocando a sua ária
Afastava-as terrivelmente

Noutro lado depois
A que horas partirá o comboio para Paris

Nesse momento
Os pombos das Molucas sujavam as nozes-moscadas
Ao mesmo tempo
Oh missão católica de Bôma que fizeste do escultor

Noutro lado
Ela atravessa uma ponte que liga Bonn a Beuel e desaparece através de Putzchen

No mesmo instante
Uma jovem apaixonada pelo presidente da câmara

Noutro bairro
Um poeta rivaliza com as etiquetas das perfumistas

Em suma oh trocistas não tirastes grande coisa dos homens
Apenas extraístes um pouco de gordura da sua miséria
Mas nós que morremos de viver tão longe um do outro
Estendemos os nossos braços e sobre esses trilhos
Desliza um longo comboio de mercadorias

Tu choravas sentada junto de mim no fundo de um fiacre

E agora
Desgraçadamente te pareces comigo desgraçadamente

Nos parecemos como na arquitectura do século passado
Essas altas chaminés parecidas com torres
Subimos mais alto agora já não tocamos o solo

E enquanto o mundo vivia e mudava

O cortejo de mulheres longo como um dia sem pão
Acompanhava na rua de La Verrerie esse músico feliz

Cortejos oh cortejos
Como outrora quando o rei ia a Vincennes
Quando os embaixadores chegavam a Paris

Quando o magro Suger corria para o Sena
Quando o motim morria aos pés de Saint-Merry

Cortejos oh cortejos
As mulheres transbordavam tão grande era o seu número
Pelas ruas vizinhas
E corriam velozes como balas para acompanharem o músico

Ah Ariane e tu Pâquette e tu Amine
E tu Mia e tu Simone e tu Mavise
E tu Colette e tu bela Geneviéve
Passaram trémulas e fúteis
E os seus passos leves e rápidos acompanhavam a cadência
Da música pastoral que guiava
As suas ávidas ovelhas

O desconhecido parou um instante em frente de uma casa que estava à venda
Uma casa abandonada
De vidros quebrados
Uma construção do século dezasseis
O pátio serve de recolha a carrinhos de mão
Aí entrou o músico
A sua música ao afastar-se tornou-se lânguida
As mulheres acompanharam-no até à casa abandonada
Entraram confusas em bando
Entraram sem olharem para trás entraram todas
Sem lamentarem o que tinham deixado o que tinham abandonado
Sem lamentarem o dia a vida a memória
Em breve não restava ninguém na rua de La Verrerie
Senão eu mesmo e um sacerdote de Saint-Merry
Entramos na casa velha
Mas não encontrámos ninguém

Chega o entardecer
É o soar do Angelus em Saint Merry
Cortejos oh cortejos
Como outrora quando o rei voltava de Vincennes
veio um bando de vendedores de gorros
Vieram vendedores de bananas
Vieram soldados da guarda republicana
Ó noite
Rebanho de olhares lânguidos de mulheres

Ó noite
Tu minha dor e minha vã espera
Ouço morrer o som de uma flauta longínqua


Versão de Jorge Sousa Braga

9 comentários:

Anónimo disse...

Zé Maria, boa noite!

Escrevo para pedir um auxílio. Você sabe se existe uma homeopatia para ajudar a conter o excesso de fome durante a gravidez? Eu me alimento corretamente, com acompanhamento de nutricionista. Como de tudo, sem a menor dificuldade e a cada 3 horas. O problema é que o que como não sacia a fome e por isso tenho exagerado muito e tido vontade de comer coisas mais gordurosas. Como pretendo ter parto normal, queria manter o controle do peso para ajudar, assim como por questões de saúde. Fiz os exames de sangue e estou saudável, mas por mês estou engordando uns 3 quilos.
Muito obrigada desde já!

José Maria Alves disse...

Boa noite Amiga

No tipo de apetite que apresenta, o medicamento mais indicado será:

IODUM 3 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.
A cada toma, o frasco-medicamento deverá ser agitado dez vezes.

No entanto, como se encontra grávida, deve consultar o seu médico assistente.

No caso de este não desaconselhar o tratamento, vá dando notícias.

Um abraço.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Zé Maria, minha médica não indica homeopatia, mas não tem nada contra o uso.
Aproveitando, eu soube que tem homeopatia para começar a tomar antes do parto, tando para conter a dor como para aumentar a dilatação.
Você poderia me indicar??
Um abraço,

José Maria Alves disse...

Boa tarde Amiga

Em que mês de gravidez se encontra?

O que pretende é um medicamento - neste caso complexo -, que facilite o trabalho de parto e reduza os inconvenientes e sequelas do mesmo, tais como, dores, sensações desagradáveis, emotividade, contracções?

Um abraço.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Estou entrando no 6 mês, exatamente na fase de começar a decidir pelo parto cesária ou normal. Então queria saber o que posso tomar e pelo que me falaram deve-se tomar com uma certa antecedência. Tenho também duas amigas que já estão entrando no oitavo mês e também gostariam de saber o que tomar.
É exatamente para isso que queremos homeopatia, para conter a dor das contrações e ajudar nos desconfortos, enfim, para não nos desencorajar com o parto normal.
Obrigada,

José Maria Alves disse...

Boa tarde Amiga

Isso por aí, anda tudo grávido? (estou a sorrir)

VAMOS ENTÃO MEDICAR AS MAMÃS »

GRAVIDEZ - PREPARAÇÃO PARA O PARTO -
FACILITA O TRABALHO DE PARTO E DIMINUI OS RISCOS E SEQUELAS

ACTEA RACEMOSA (CIMICIFUGA) - 5 CH
ARNICA MONTANA - 5 CH
CAULOPHYLLUM - 5 CH
GELSEMIUM - 5 CH
PULSATILLA 5 CH

Mandar preparar os remédios no mesmo frasco.

No 9.º mês - só no 9.º - 3 gotas de manhã e 3 à noite.
Logo que comecem as contracções, 3 gotas de um quarto em quarto de hora.

Um abraço e que Deus abençoe as vossas crianças.

Zé Maria Alves

Anónimo disse...

Muuuuuito obrigada!
Somos 4 amigas grávidas e mais 2 tentando engravidar!
Este ano no Brasil as maternidades estão cheias!!!!
Abraço carinhoso,

Anónimo disse...

Zé Maria,
Uma amiga que está entrando no oitavo mês e há algum tempo reclama de dor nas costas, mas não é uma dor lombar e sim bem no meio das costas. Quando ela alonga melhora muito, mas logo passa e ela volta a sentir a dor. O que ela poderia tomar?

José Maria Alves disse...

Boa tarde Amiga

Vamos fazer BELLIS PERENNIS 6 CH, 3 gotas ou glóbulos (aqui damos-lhe o nome de grânulos por serem muito pequenos), 3 vezes por dia.

Decorridos que sejam dez dias de tratamento, dê notícias, se antes não sentir necessidade de o fazer.

Um abraço e as melhoras.

Zé Maria Alves